sexta-feira, 15 de maio de 2015

Suspensão imediata da decisão de Beto Richa é solicitada



O Ministério Público de Contas do Paraná, pediu na sexta feira, dia 8 de maio, a suspensão imediata da lei assinada por Beto Richa que alterou o regime previdenciário dos servidores públicos estaduais. A mudança foi o pivô das manifestações da semana passada, com inúmeros feridos, cerca de 200, em frente a Assembleia, transformando aquele local em praça de guerra, por decisão do ex Secretário de Segurança Fernando Francischini, a mando do governador Beto Richa. De acordo com  a medida  cautelar proposta pelos procuradores, o projeto é inconstitucional, ilegítimo e ilegal porque não preserva o equilíbrio financeiro  e atuarial da previdência, conforme prevê a Constituição Federal. A manobra de Beto Richa para cobrir o rombo financeiro que ele deixou no Estado é transferir 33 mil servidores aposentados pelo fundo financeiro, que integra a caixa do  governo e está deficitário, para o fundo previdenciário, uma espécie de poupança do sistema, que recebe contribuições do Estado  dos servidores e tem um saldo positivo de  8,5 bilhões de reais. Com a mudança, o governador fará uma economia mensal de 143 milhões de reais mensais, aliviando o caixa. O governador ainda não disse nada a respeito do assunto mas já disse que todas as suas decisões tem o apoio da maioria dos deputados, também chamada de Bancada do Camburão, composta de 31 deputados. Como se vê, muita água ainda vai rolar por baixo da ponte! O grito de Fora Beto  Richa (PSDB)   ecoa  em  todo  o  Paraná!  O governador do Paraná está nas cordas, como se diz na gíria do box!

Nenhum comentário: